sábado, 21 de fevereiro de 2009

noites: palavras alheias

Segundo Sonho Campos de Carvalho


Estou no palco sozinho.


Sei que a peça vai começar daí a instantes, mas ignoro completamente meu papel, o que tenho a fazer e sobretudo a dizer.

O script está na minha mão, mas não consigo lê-lo: as letras se embaralham e o sentido do texto muda sem que haja qualquer concatenação. Tenho a vaga idéia de que um casal (dois atores famosos e tarimbados) deve chegar a qualquer momento e então eu terei que dirigir-lhes a palavra e começar a atuar.

Pela janela vejo dois vultos suspeitos tramando alguma coisa e num deles reconheço o ator com quem contracenarei.

O casal logo depois entra no palco, sem se anunciar, e eu, no desespero, chego a pedir que espere que eu leia ao menos as primeiras palavras do meu papel.

A cortina se levanta e eu decido improvisar tudo em tom humorístico e sem sentido.




---

E do outro lado da mesma história, já de manhã, está o clipe Her morning elegance, de Oren Lavie.






E boa noite para você, no Myspace do Oren Lavie.


3 comentários:

Augusto disse...

Nossa... excelentes textos!

Edson Junior disse...

Delícia de blog, srta. O mesmo quanto sorriso na foto.

Marina Fiamoncini disse...

Muito bonito o seu blog!